Política

Bolsonaro sobre guerra na Ucrânia: Meu partido é o Brasil





"Temos negócios com a Rússia, somos neutros e continuamos recebendo fertilizantes deles. Imaginem o nosso agronegócio sem fertilizante. Cairia a produtividade", alegou

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a comentar nesta terça-feira (12/4) a guerra da Rússia na Ucrânia. “Meu partido é o Brasil”, disse o chefe do Executivo, repetindo discurso de “neutralidade” em relação ao conflito durante conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

“Nessa guerra lá fora queriam que eu tomasse partido, meu partido é o Brasil. Temos negócios com a Rússia, somos neutros e continuamos recebendo fertilizantes deles. Imaginem o nosso agronegócio sem fertilizante. Cairia a produtividade”, alegou.

Bolsonaro ainda disse que a Europa “caiu na real com a guerra”, em referência à dependência ao gás proveniente da Rússia.

“A Europa agora caiu na real com a guerra, né? Se lá, a Rússia fechar a torneira do gás, 40% do gás da Europa vem da Rússia. Como eles vão sobreviver? Vai ficar complicada a vida deles”, completou.

Ontem, em entrevista, o presidente também repetiu agradecimentos ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, que segundo ele, teria se posicionado a favor da soberania do Brasil na Amazônia em discussões de líderes internacionais sobre o clima.

“Por ocasião da discussão sobre o clima no mundo, outros países, como França, Reino Unido e Estados Unidos, relativizaram nossa soberania sobre a Amazônia. Quando estive na Rússia, no começo deste ano, conversei com o presidente Putin antes da invasão à Ucrânia, por parte da Rússia, sobre uma coisa que interessa muito para a gente: sobre a continuidade do fluxo no fornecimento de potássio para nós. Isso foi garantido, a gente espera que continue essa garantia para o bem dos nossos negócios aqui.”

Fonte: Correio Braziliense